Teva Indices Mulheres na Liderança

Medir para mudar

Produzimos o primeiro estudo quantitativo da presença de mulheres na composição de conselhos, diretorias e comitês de todas as empresas brasileiras de capital aberto.

Compartilhar o resultado da nossa pesquisa é uma forma de chamar a atenção para a desigualdade de gênero em cargos de liderança no Brasil.

A maior base sobre diversidade de gênero no Brasil

5
anos

Período de backtests e análises históricas.

150.000
cargos

Histórico coberto e checado com identificação de gênero para todas as empresas.

Todos os órgãos
de liderança

Cobertura de Conselhos de Administração, Conselhos Fiscais, Diretorias, Comitês de Auditoria e todos outros Comitês.

343
empresas

Base integral de empresas listadas e negociadas no Brasil que não estejam em recuperação judicial.

Score de Igualdade de Gêneros

Nossa cobertura de todos os cargos de liderança em todas as empresas listadas é a mais ampla e completa do país.

O Score de Igualdade de Gêneros atribui uma pontuação para cada uma das empresas listadas. Sua metodologia leva em conta a participação de mulheres em todos os órgãos de governança, cobrindo quase 8.000 posições.

O Score é atualizado mensalmente e mede de forma prática o resultado da adoção de políticas de igualdade de gêneros.

Mais de 57% das empresas não contam com nenhuma mulher na diretoria, no conselho fiscal ou no comitê de auditoria

A atenção dada à falta de diversidade de gênero nos conselhos de administração contribuiu para a diminuição do gap nesses colegiados.

Entretanto, o número de empresas sem nenhuma mulher em outros órgãos de governança importantes, como diretorias, conselhos fiscais e comitês de auditoria, ultrapassa 57%.

O olhar deve se voltar para além de apenas os conselhos de administração, a fim de promover mudanças mais amplas e significativas.

Dados amplos de Agosto de 2021 e histórico

Estamos apenas no primeiro quarto do caminho para igualdade de representação nas empresas

O termômetro mede de 0 a 100 a igualdade dos órgãos de governança de todas as empresas listadas. O número zero representaria nenhuma mulher em nenhum colegiado, enquanto o número 100 seria um número igual de homens e mulheres.

A Teva desenvolveu sua metodologia proprietária que leva em conta uma ponderação entre Conselhos de Administração, Conselhos Fiscais, Diretorias Executivas e Comitês para acompanhar em tempo real a busca por equidade.

Diversidade de gênero nas empresas

Das 7.819 vagas em colegiados de liderança nas empresas brasileiras listadas, apenas 1.160 são ocupadas por mulheres.

Esse gap tem diminuído lentamente, com aumento de apenas 5,6% na representatividade feminina nos últimos 5 anos.

Apenas 14,4% dos assentos de conselho de administração são ocupados por mulheres

São 1.952 homens para 329 mulheres conselheiras.

Apesar de uma melhora recente dos indicadores, o gap para atingir igualdade nos conselhos ainda é amplo.

Quase 40% das empresas não contam com nenhuma mulher no conselho

Esse é o menor patamar dos últimos 5 anos, porém o número ainda chama atenção: 38,1% das empresas não têm nenhuma mulher no órgão mais alto de governança.

Evolução histórica da distribuição de empresas por número de mulheres no conselho

Essa análise permite ver os passos dados pelas empresas para incluir mulheres no board.

É possível enxergar que a maior parte das empresas deixou de não ter nenhuma mulher para ter apenas uma mulher em seu conselho.

No exterior, costuma-se observar a métrica de ao menos duas mulheres no conselho. Hoje, 26,1% das empresas têm duas ou mais mulheres.

O ingresso das mulheres nos conselhos

Mais jovens, novas ingressantes e conselhos renovados. A chegada das mulheres traz mudanças de perspectiva, diversidade valores e visão.

Diversidade por órgão de governança

A imagem da falta de diversidade é histórica e presente em todos os colegiados.

Conselho de Administração

Conselhos Fiscais

Diretoria

Comitês de Auditoria

Nenhum órgão de liderança das empresas listadas tem mais de 20% de mulheres sobre o total de participantes no agregado

A desigualdade de representatividade é próxima em quase todos os comitês e conselhos.

Abismo na presidência

Somente 23 mulheres são presidentes do conselho de administração, enquanto homens presidem 93% destes.

Ao contrário do que se acredita, não há evidências de que a opção por homens ou mulheres na presidência dos conselhos resulta da indicação do controlador.

Presidência do conselho

% Presidência do Conselho eleita pelo controlador