Artigos

Acompanhe nossos artigos e publicações sobre o mercado financeiro, índices e ETFs.

Acompanhe o mercado de debêntures no mês de maio

Índice Teva Debêntures DI oferece uma visão completa sobre o mercado de crédito privado brasileiro.

07/06/2024
Estudos

A Teva Indices divulga mensalmente o rebalanceamento do Índice Teva Debêntures DI, que foi a base para a criação do DEBB11, o primeiro ETF de crédito privado do Brasil.

Neste relatório você encontrará informações sobre os dados extraídos da seleção de carteira do Teva Debêntures DI.

O Índice seleciona as debêntures mais líquidas do mercado com remuneração de DI + Spread.

O Teva Debêntures DI foi criado em 2020 e foi pensado para ser o primeiro índice de debêntures replicável por um ETF. Hoje, o DEBB11 continua sendo o único ETF de debêntures do Brasil, trazendo inovação e eficiência no mercado de crédito privado.

Clique aqui para conhecer mais sobre a metodologia do DEBB11.

Performance do Índice Teva Debêntures DI

Em maio, o Índice Teva Debêntures DI teve um desempenho de 0,9%, performando 108,8% do DI esse mês e 131,0% do DI esse ano.

Cotação dos índices de crédito privado (jan/22 = 100)

O índice mantém um histórico de estabilidade nos momentos de oscilação do mercado, apresentando um desempenho consistente em comparação ao mercado em geral e a outros índices de liquidez.

Spread de Carrego

Spread de carrego é uma expressão utilizada pelo mercado de crédito para indicar qual seria a taxa (remuneração, rendimento) implícita para um ativo comprado na data e “carregado” até seu vencimento. O conceito é mais simples para um título único, mas também pode ser aplicado para uma carteira.

Como o índice e o DEBB11 têm uma carteira contínua, essa taxa pode ser analisada como indicativa de qual seria o rendimento se o fundo não aplicasse mais os recursos e levasse todos os títulos até seu vencimento.

Spread de carrego do Índice Teva Debêntures DI (%)

No fechamento de maio, o spread de carrego foi registrado em DI + 1,88%, representando uma diferença de -0,01%, em relação ao valor do fechamento de abril, que era de DI + 1,89%. Desde o início de 2024 até o final de maio, o spread decresceu 0,27% em valores absolutos. Apesar do aumento de spread durante o mês de abril de 2024, as quedas têm sido mais frequentes, contribuindo para que o spread esteja abaixo do valor pré-evento da Americanas.

Essa diminuição de spread de carrego desde o início do ano até o momento atual reflete uma melhora na percepção de risco e um ambiente de mercado mais favorável para os investidores.

Liquidez e Volume do Mercado de Crédito

A liquidez desempenha um papel fundamental nos mercados financeiros afetando diretamente a agilidade de negociações e facilitando a formação de preços.

O índice seleciona ativos líquidos, marcados por um volume expressivo de negociações e spreads reduzidos, que proporcionam aos investidores a possibilidade de negociações com rapidez, diminuindo os custos associados às transações e possibilitando uma gestão de portfólio mais versátil.

Em maio, o valor de negociações médias por dia das debêntures no índice aumentou para R$ 969,8 milhões, dando continuidade ao crescimento do mês anterior.

Média do volume de negociação diária das debêntures no índice por mês

Volume de emissão das debêntures no índice

O volume de emissão médio da carteira está em R$ 932 milhões, com um volume de emissão total de R$ 244 bilhões.

Carteira do Índice Teva Debêntures DI

No rebalanceamento de junho, o Índice Teva Debêntures DI teve um aumento total de 16 ativos em sua carteira, resultando em 269 ativos emitidos por 149 emissores diferentes.

Histórico do número de ativos e emissores

O DEBB11 funciona como um produto de eficiência de mercado, pois é o único produto que permite negociar uma cesta de 269 debêntures na bolsa, com baixo spread e investimento mínimo de aproximadamente R$ 12. No mercado convencional de debêntures, essa operação seria altamente custosa e com pouca transparência na precificação dos ativos.

Duration média histórica da carteira do índice (anos)

Com duration médio de 2,64 anos, esses ativos estão distribuídos entre 19 setores distintos, proporcionando uma cobertura abrangente do mercado.

Risco, retorno e diversificação

Ao distribuir os investimentos por centenas de debêntures, o investidor reduz sua dependência em relação ao desempenho de um único ativo, o que ajuda a mitigar os impactos negativos de eventos específicos que possam afetar uma empresa ou setor.

Essa abordagem estratégica não apenas fortalece a resistência da carteira diante de flutuações específicas do mercado, mas também oferece aos investidores uma maneira mais equilibrada e prudente de acessar o segmento de debêntures.

O Índice Teva Debêntures DI se destaca como uma opção que busca otimizar a relação entre risco e retorno da classe de ativos.

Exposição setorial da carteira

Top 15 emissores no rebalanceamento

Spread DEBB11

spread entre a cota do ETF e sua carteira refere-se à diferença entre o preço pelo qual os investidores podem comprar ou vender as cotas do ETF e o valor dos ativos subjacentes que compõem a carteira do ETF. Esse spread pode variar ao longo do tempo e é influenciado por vários fatores, incluindo liquidez do mercado, volatilidade, custos de transação e eficiência na formação de preços.

Spread entre o preço de fechamento e o valor patrimonial da cota

No mês de maio, o spread médio foi de -0,03%, calculado entre o preço de fechamento e o valor patrimonial. O ETF DEBB11 oferece spreads de negociação baixos, proporcionando uma experiência de investimento mais acessível e eficiente, sem os desafios comuns associados às negociações no mercado de balcão.

Avaliação por Setores

Cabe destacar que uma queda dos spreads dos ativos está ligada a uma diminuição no preço do ativo e a um acréscimo no retorno esperado. Esse padrão evidencia diversos aspectos, sendo o principal deles um aumento no prêmio de risco, indicativo de que os investidores estão percebendo um ambiente mais arriscado. Ao se analisar de forma separada por setor, é possível avaliar a confiança do mercado em cada área específica diante do cenário econômico atual.

O gráfico abaixo apresenta as variações dos spreads, por setor, dos ativos do último dia da carteira de março em relação ao primeiro dia da carteira.

Spreads de carrego por setor da carteira do rebalanceamento de maio (%)

Variação dos spreads por setor (p.p.)

No último mês, a maioria dos setores registrou queda em seus spreads, sinalizando uma maior confiança no mercado de crédito em relação a esses setores específicos. A maior queda foi registrada no setor de Serviços Industriais, com um decréscimo de 1,7 p.p.

O setor de Máquinas e Equipamentos Industriais foi um dos poucos setores que apresentou aumento de spread nesse mês. O setor de saúde também apresentou crescimento de spread, comportamento que se tornou recorrente nos últimos meses de 2024.

Uma possível explicação para o aumento da percepção de risco do setor de saúde pode estar relacionada ao reajuste dos planos de saúde autorizados no dia 04 de junho de 2024 pela Agência Nacional de Saúde. Esse reajuste, de 6,91%, valerá para 8 milhões de beneficiários no Brasil durante o período de maio desse ano até abril de 2025.

Um aumento de preço como esse tem potencial para impactar grande parte da cadeia do setor de saúde. Os ativos de saúde da carteira do índice que tiveram maior aumento em seus spreads foram do segmento hospitalar, farmacêutico e laboratorial.

Gostou das informações e quer saber mais sobre o mercado de crédito? Inscreva-se em nossa newsletter mensal.

Acesse o relatório para obter mais informações sobre:

  • Debêntures de melhor e pior desempenho;
  • Panorama do mercado de crédito;
  • Evolução e tendências dos prêmios de risco (spread);
  • Custo de crédito por setor;
  • Duration e composição setorial.

Você pode visualizar o documento clicando aqui.

Conheça a carteira do Índice Teva Debêntures DI:

[@portabletext/react] Unknown block type "htmlBlock", specify a component for it in the `components.types` prop